Efeitos climáticos de um mínimo solar

Cerca de 2800 anos atrás um mínimo solar provocou uma nítida mudança climática em menos de uma década na Europa Ocidental. A importância deste estudo é que ele fornece evidência clara de aspectos ainda mal compreendidos sobre o nosso sistema climático.

Os cientistas analisaram sedimentos de um lago na Alemanha para determinar as variações anuais do clima e da atividade solar. Os pesquisadores compararam ambos os resultados e perceberam que o clima se comporta em concordância com atividades solares. A conclusão sugere que as atividades solares possuem certa interferência sobre nosso sistema climático.

O Sol possui variações de comportamento de forma cíclica que vai do mínimo solar até o máximo solar. Aproximadamente lá pelo final de 2012 o sol entrará no seu máximo solar, depois iniciará uma baixa na atividade até seu mínimo e vai levar aproximadamente 11 anos até chegar ao máximo novamente.

Após a coleta e análise dos dados, o próximo passo é trabalhar no intuito de criar um mapa de eventos na tentativa de entender melhor a relação entre o comportamento do Sol e o comportamento do clima na Terra. O consenso neste momento é que os ciclos solares possuem alguma relação com a manifestação climática na terra.

Até pouco tempo se conhecia apenas a distancia do sol que oscila através de nossa órbita elíptica promovendo as estações do ano entre outras influencias. Todas pautadas na distância. A novidade é que além da distância, a agitação do Sol pode ser um outro motivador climático. Novos estudos devem esclarecer o tema.


Garanta sua privacidade!
Baixe aqui o Navegador Brave.