Início | Cursos | Filmes | Links | Clean Page



Mensagem subliminar: práticas e mitos

07/2017 | Deu erro? avise aqui

Mensagem subliminar é entendida como sendo todo e qualquer estimulo enviado dissimuladamente no intuito de influenciar escolhas e atitudes. As mensagens subliminares produzem sensações e interpretações cujo efeito passa despercebido pelo observador. Um bom exemplo de mensagem subliminar são as propagandas embutidas nas novelas e filmes (denominada de merchandising) onde uma marca ou produto é incorporado ao desenrolar da cena.

A ideia básica no caso do merchandising consiste em associar o produto ou marca com uma falsa memória de sentimento agradável e disseminar que o uso de tal produto irá gerar determinado benefício, como tornar a pessoa mais atraente, segura e assim por diante.

A técnica do merchandising conta com o fato de muitas pessoas se imaginarem no lugar dos personagens e construírem algumas memórias de situações fictícias que são em geral motivadas ao consumir o produto.

Não é por acaso que a moda surge através dos personagens de televisão, novas palavras, comportamento, estilos e até alimentos recebem preferência nacional dependendo da afinidade com um determinado personagem, cantor, ator, etc.

Outra forma bastante usada em mensagens subliminares consiste na dramatização de um evento ou notícia impedindo que o observador perceba as inconsistências do que é argumentado, gerando uma tendência de interpretação.

A trilha sonora do filme o exorcista usou de diversos truques de áudio como o som de abelhas e gritos de porcos para gerar um clima de tensão e medo. No documentário “Criança a alma do negócio” é apresentado o problema da manipulação dos valores sociais e da indução de consumo nas crianças, através das propagandas onde mensagens subliminares se constituem como terreno fértil.

Recentemente foi descoberto que alguns produtos eletrônicos podem produzir uma freqüência que estimula de forma subliminar o medo e a sensação de fantasmas nas pessoas.

O estudo sobre a possibilidade de induzir as pessoas de forma subliminar ganhou força em 1959, quando o publicitário Jim Cary afirmou ter aumentado as vendas do refrigerante coca-cola ao inserir frases do tipo “beba coca-cola” em uma velocidade não percebida conscientemente pelos espectadores de um filme. Com o passar do tempo o resultado alegado pelo publicitário se mostrou duvidoso. No entanto, o evento chamou atenção e motivou diversos estudos.

A febre das mensagens subliminares chegou ao auge nos EUA com alguns supermercados inserindo de forma dissimulada frases em musica ambiente afirmando que “roubar é errado” ou empresas que instalaram programas nos computadores para aparecerem na tela em elevadas frações de segundos a frase “trabalhe mais rápido”.

Atualmente se entende que as mensagens subliminares precisam fazer sentido ao observador, uma sensação de fantasma só ocorre se a pessoa acreditar na possibilidade, ou seja, se a idéia de fantasma faz sentido na interpretação. Desta forma, as mensagens subliminares apresentam maior eficiência nos merchandising onde o sentido da mensagem é claro, embora a mensagem em si, pode passar despercebida.

As mensagens subliminares caíram na fantasia do publico e virou uma lenda urbana com direito a fã clube e paranóicos de plantão. Teve gente denunciando que as torres do castelo da branca de neve eram mensagens subliminares representando órgãos sexuais masculino. Tudo virou subliminar, qualquer imagem podia ser interpretada como algo oculto e maléfico.

É preciso tomar cuidado com certos exageros, existem técnicas de indução e o estudo sobre as mensagens subliminares foi bastante distorcido.

Alguns advogados americanos tentaram usar do argumento subliminar em defesa de seus clientes, teve o caso de um jovem que matou seus pais alegando que estava sob manipulação de um filme. Em outro caso a culpa recaiu sobre uma banda de rock cuja musica teria determinado a ação do criminoso.

A idéia que uma mensagem subliminar possa determinar a ação de uma pessoa é considerada mito. Não é possível manipular pessoas mentalmente saudáveis. O máximo que pode ocorrer é uma sugestão (influência) interpretada pelo observador se a mensagem fizer sentido.

Se alguém quer comprar um produto, uma mensagem subliminar pode influenciar na escolha da marca e modelo. Por isso que o merchandising é uma forma de publicidade cara atualmente. O poder de convencimento é maior já que apela para emoção.

Outras formas subliminares podem ser encontradas na divulgação dos cartões de créditos onde se vende a idéia de um dinheiro a mais ou de uma solução financeira, ocultando o fato da perda média de 120% ao ano, por conta dos juros. Até pouco tempo se vendia a imagem do cartão de crédito como status de sucesso e credibilidade e algumas pessoas tinham o orgulho de mostrar a marca/bandeira do seu cartão.

É importante observar que a pessoa precisa estar receptiva (influenciável) para que a mensagem subliminar tenha algum resultado.

O melhor remédio, ainda é um comportamento crítico frente ao que é observado evitando agir por impulso.

Os economistas aconselham que ao querer um produto se espere alguns dias para comprá-lo e se faça pesquisa de mercado, desta forma, a tendência é que o impulso diminua e seja possível pensar com clareza se o consumo é realmente adequado. Fique atento aos estímulos que você é submetido e aos jogos dos vendedores e publicitários, questione a coerência de suas sensações e desejos. Evite o consumo voraz/impulsivo.

Para saber um pouco mais sobre esse assunto pode ser interessante acessar o conteúdo abaixo.

Baixar artigo

Não perca Conteúdo! Adicione seu e-mail.



Você sabia!

O termo Nomofobia é uma palavra cuja origem remete para expressão “No Mobile”, ou seja, “sem celular” ou aparelho móvel de comunicação. Cada vez mais pessoas sofrem de angústia e são acometidas por um possível estresse quando da ausência de seu aparelho celular. Continuar leitura...

Destaques do blog
Curiosidade:

Afinal, andador para bebê faz mal? Muitas pessoas acreditam nos benefícios enquanto outras são totalmente contra. Alguns estudiosos falam de problemas físicos enquanto outros alertam para possíveis acidentes domésticos e atraso aprendizado. Na perspectiva dos especialistas manter o bebê num mecanismo de ajuda para andar pode causar algum tipo de problema psicomotor. Continuar leitura...