Blogdojsilva


Filme: Substitutos

Existem filmes difíceis de “palpitar”.

Embora o gênero ficção científica normalmente seja rico em detalhes e curiosidades, abrindo um extenso leque de fatos e cenas que geram centenas de comentários, Substitutos não inspira um  texto muito longo. O filme é pobre. Em vários aspectos.

Primeiro a parte boa: o elenco. O eterno rato, Bruce Willis, continua com aquele jeitão de conquistador barato bom em resolver conflitos na base da pancada. Seu personagem junta essa característica, comum em quase todos seus papéis, com um romântico saudosista. O resultado, claro, é um personagem bastante interessante.

Sua parceira, a bela Garota Exemplar, Rosamund Pike, também de 007 – Um Novo Dia para Morrer, está perfeita como uma robô ao estilo da Garota Exemplar: linda, perfeita e com pouca expressão. Completa o trio principal a australiana Radha Rani Amber Indigo Anunda Mitchell, ou Radha Mitchell para os íntimos, do horrível Invasão a Londres.

Garota exemplar

Quadrinhos trazem boas histórias

Para não destacar somente o elenco como bom, o argumento em si, baseada em uma história em quadrinhos lançada em 2005, também é boa. Em uma frase: robôs são criados a semelhança do dono e fazem tudo, tudo mesmo, no lugar dos humanos que ficam engordando e definhando em cadeiras-cama sem nunca sair de casa.

É uma boa ideia e uma boa sacada.

Mas o filme não empolga. Ele é meio travado, um tanto confuso e mau dirigido por Jonathan Mostow, de 571 – A Batalha do Atlântico.

Mesmo com várias perseguições, carro atrás de moto, robô atrás de humano, carro atrás de robô, muitas explosões e tiros, não convence. Todas essas “atividades”, que normalmente deixariam qualquer longa uma aventura do começo ao fim, não são suficiente para imprimir um ritmo legal à obra. É tudo morno, sem sal. As quase duas horas de filme são intermináveis.

É aquele mote interessante: boa história, bom roteiro, bons atores e mau filme.

Sinceramente, se você é fã de ficção científica, existem centenas de ótimas opções por aí.

Definitivamente, apesar do eterno duro de matar, o filme não vale a pena.

Não veja no Telecine Play.