Início | Cursos | Filmes | Links | Clean Page



Hemodiálise e a ressuscitação de um cão em 1940

07/2017 | Deu erro? avise aqui

Vi animais mortos trazidos de volta à vida, comentou o Dr. Haldane, em entrevista a revista Time Magazine no dia 22 de novembro de 1943. Foi a primeira exibição pública nos EUA de um filme produzido em 1940 retratando uma experiência de biólogos soviéticos.

Os cientistas soviéticos drenaram o sangue de um cão e alguns minutos após o seu coração parar de bater os cientistas bombearam o sangue de volta para dentro do animal sem vida, através de uma máquina chamada autojector. Algum tempo depois o cão começou a respirar e seu coração começou a bater. Em doze horas o animal estava abanando o rabo e latindo normalmente, recuperado do procedimento.

Abaixo segue o filme que documentou uma das primeiras experiências sobre ressuscitação de organismos clinicamente mortos. No filme o experimento parece ser bem sucedido. A pesquisa foi conduzida pelo Dr. Bryukhonenko em 1940 no Instituto de Fisiologia Experimental e Terapia, Voronezh, URSS. O registro em vídeo foi apresentado posteriormente em 1943 para comunidade científica nos EUA.

Na época o experimento tinha como objetivo entender e encontrar meios para ressuscitação de seres vivos.  Experimentos semelhantes ao apresentado no vídeo permitiram vários avanços tecnológicos, entre eles, o surgimento da tecnologia de hemodiálise, onde o sangue de uma pessoa é filtrado por uma máquina quando o corpo não consegue mais executar essa função adequadamente. A máquina de hemodiálise opera com um conceito muito parecido com aquele apresentado no vídeo de 1940.

Não perca Conteúdo! Adicione seu e-mail.



Você sabia!

Vi animais mortos trazidos de volta à vida, comentou o Dr. Haldane, em entrevista a revista Time Magazine no dia 22 de novembro de 1943. Foi a primeira exibição pública nos EUA de um filme produzido em 1940 retratando uma experiência de biólogos soviéticos. Continuar leitura...

Destaques do blog
Curiosidade:

A obesidade é tratada atualmente como um problema global, com o avanço tecnológico estamos efetuando cada vez menos esforço físico e com isso gastamos menos energia que é acumulada no corpo na forma de gordura, quando acompanhado pela ausência da prática de exercícios físicos constantes pode surgir um peso extra. Uma criança de hoje aparentemente se movimenta bem menos que nas gerações anteriores ocupando a maior parte do seu tempo com brinquedos eletrônicos como videogames e televisão. Para cada 7.000 calorias acumuladas no organismo um novo quilinho extra aparece. Os adultos com vida agitada, crises de ansiedade e alimentação inadequada, também podem sofrer com peso extra. Um relatório publicado em dez/2012 na revista médica britânica The Lancet afirma que a obesidade é a principal causa de incapacidade em todo o mundo, proporcionando uma variada gama de doenças. Segundo a World Heart Federation atualmente um bilhão de pessoas se encontram acima do peso. A conclusão é que o mundo está ficando obeso.