Cinema | Cursos | Ofertas| Login/Entrar



A deserta cidade de Gunkanjima

Editado por em 05/2017

Gunkanjima ou ilha Hashima é uma local interessante que parece um barco quando olhado de cima. A cidade apareceu no filme 007 operação skyfall. Basicamente é uma ilha com prédios e várias moradias agora abandonadas. Um senário sombrio que produz uma sensação de vazio, assim relatam aqueles que já visitaram a ilha.

A ilha tinha uma população de 5.259 moradores em 1959 sendo propriedade da empresa mineradora Mitsubishi Mining Company. Todos os moradores eram funcionários envolvidos com a mineração de carvão que ocorria nos túneis subterrâneos que iam até o fundo do mar. A produção atingia uma média de 400 mil toneladas de carvão por ano.

Com o crescimento do petróleo em 1974 o negócio de mineração de carvão perdeu força e a ilha foi abandonada intacta. As construções e muitos pertences simplesmente foram deixados ali.

Desde 1974 a ilha está largada ao tempo e sem manutenção pouco a pouco os prédios vão se tornando ruínas. É possível passear pela ilha através do Google Maps em: https://maps.google… e acessar uma galeria de fotos sobre a cidade através da galeria Google Plus em https://plus.google…

Não perca Conteúdo! Adicione seu e-mail.

Encontrou algum erro? clique aqui

Curiosidade:

Em tempos remotos um bom profissional era aquela pessoa que possuía a maior quantidade de conhecimento sobre um determinado assunto. Atualmente apenas deter o conhecimento já não é suficiente para garantir o sucesso profissional. Além da técnica, é muito importante que o profissional possua uma capacidade aguçada de perceber o meio no qual esta atuando. Continuar leitura...

Você sabia!

É possível afirmar que Economia é a ciência social que estuda a produção, a circulação e o consumo dos bens e serviços que são utilizados para satisfazer nossas necessidades. Como alimentação, vestuário, água potável, transporte, entre outros. Continuar leitura...

Destaques do blog
Curiosidade:

Galileu teve seu dedo separado do corpo de por Anton Francesco Gori (Florença, 1691-1757) em 12 de março de 1737, quando os restos mortais foram transferidos da capela de São Cosme e Damião para a igreja de Santa Croce. Continuar leitura...